Para os iniciantes em R, como eu!

 

Em minhas primeiras incursões ao aprendizado de R, tenho tentado me motivar a encampar o custo de entrada, e aqui compartilho alguns textos que estão em ajudando e podem ser úteis para outros novatos!

Aqui, 5 boas razões para usar R:

Econometrics by Simulation: Why use R? Five reasons..

E aqui, um texto que sintetiza aplicações a minha principal área de interesse: econometria de séries temporais (TSAR). Esclareceu muitas dúvidas que eu tinha sobre o poder das ferramentas disponíveis para área e também me alertou sobre a qualidade das bibliotecas disponíveis no CRAN, indicando a preferência por bibliotecas usadas em livros textos ou artigos publicados, já atestadas por pares em sua qualidade não só com uso da linguagem, mas também como ferramenta de análise eficiente. Ele também fala sobre usar Sweave  (“R supports high-quality technical typesetting and reproducible research including reproducible applied statistical and econometric analysis” e diz que escreveu o artigo usando isso e scripts de R. Alguém já usou? Ai, ai, ai… agora que me acostumei com LyX!!

 

 

 

 

 

Rrrrrrrrrrrrrrrr…

 

R.

É esse mesmo o tema do post. Não, não estou brava (ou estou? ok, estou). É que dedicar horas-bunda de estudo para aprender “mais uma linguagem ou mais um software”, depois de uma certa idade, tem um custo de oportunidade elevadíssimo… Mas vamos lá. Afinal, ensino numa universidade pública e usar um software livre nas aulas de econometria deve ter um benefício social bem maior que o meu custo privado – quero crer. Além disso, dizem os usuários, quando os estudantes precisam programar aprendem mais e melhor – tenho dúvidas. Tenho dúvidas inclusive de que seja possível rodar em R pelo menos 30% dos métodos e testes de especificação de um curso de séries temporais para a graduação (Claudio  tem a resposta??).

Exatamente para tentar dirimir essas dúvidas e minha ignorância no assunto que estou, segundo meu amigo Claudio Shikida, entrando no “maravilhoso mundo da linguagem R”. Aliás, veio dele a inspiração para encarar tal tarefa, já confessei isso e ele ficou feliz, concluindo que me Granger-causou! Em seu blog Gustibus, quase todo dia tem um post com dicas valiosas e aplicações iniciais a problemas de pesquisa interessantes, que ele denomina “Momento R do dia” – neste link estão os posts com etiquete R.

Por enquanto, só posso compartilhar com vocês meus passos iniciais dados na plataforma de aprendizado online para R, denominada DataCamp; comecei lá e estou gostando – é quase “R for Dummies” (em breve poderei implementar as dicas do Clau-clau)!!

 

 

Publicado em Econometria. Tags: , . 3 Comments »

Experimentando Coursera

 

Finalmente resolvi conferir a indicação de alguns colegas e me inscrevi em alguns cursos oferecidos pela plataforma Coursera – uma plataforma educacional  que oferece cursos online gratuitos em parceria com universidades de renome internacional. Dois motivos principais me levaram a encarar esse desafio: 1) aprender metodologias e técnicas de ensino a distância eficientes (espero); 2) conhecer um pouco mais sobre assuntos de meu interesse e sobre softwares que ainda não domino.

Para atender ao primeiro objetivo, matriculei-me no curso Introduction to Computational Finance and Financial Econometrics oferecido por Eric Zivot, pesquisador e professor da Universidade de Washington. É sempre bom saber como outro professor ensina um conteúdo que nós mesmos ensinamos. Além disso, nesse curso, já será necessário algum aprendizado sobre o software R, outra atividade a que quero me dicar nesse semestre. Já estamos na terceira semana, de um total de 10, e tenho gostado bastante tanto das aulas quanto das atividades que os alunos precisam realizar.

É exatamente voltado para o aprendizado de R, o segundo curso em que me matriculei: Linguagem R, que se iniciará em 2 meses. Como se não bastasse, meu interesse em aplicações de neurociência à economia também encontrou uma oferta no Coursera: Introdução à Neuroeconomia: Como o cérebro toma decisões; esse mais já perto das férias, começando em 3 meses.

A estrutura dos cursos é baseada em vídeo-aulas, fóruns de discussão e atividades de avaliação semanais, que parecem funcionar bem. As vídeo-aulas, quando assistidas pelo site, permitem recursos como legendas em algumas línguas (raramente em português) e a opção entre acompanhar os slides ou a imagem do professor na tela principal, com a segunda opção numa tela menor ao canto direito.

Umas das coisas que me chamou a atenção logo de cara foi o  código de conduta de estudantes, e que a cada atividade de avaliação que fazemos nos é recordado:

  1. Me comprometo em criar apenas uma conta.
  2. As respostas para meus trabalhos, testes ou provas serão elaboradas por mim mesmo (com exceção daqueles que expressamente permitam trabalho em grupo).
  3. Eu me comprometo a não disponibilizar a ninguém as respostas para meus trabalhos, testes ou provas. Isso inclui minhas respostas ou as respostas fornecidas pelos organizadores do curso.
  4. Afirmo que não participarei de quaisquer outras atividades que irão, de forma desonesta, melhorar meus resultados ou melhorar / prejudicar os resultados dos outros.

Ou seja: “Não Colarás”; tudo que eu gostaria que meus próprios alunos fizessem!!

.

%d blogueiros gostam disto: