I Encontro Nacional de Blogueiros de Economia

 

Uma idéia muito bacana dos colegas Cristiano Costa, Claudio Shikida e Carlos Eduardo Gonçalves que eu apoio e divulgo, além de participar do painel temático “Os Blogs na Sala de Aula: A Disseminação de Conhecimento”, por meio de vídeo.

Para inscrições, acesse: http://www.surveymonkey.com/s/enbeco (há apenas 120 lugares disponíveis!)

Programa do Evento

 

Abertura (13:30)

Carlos Eduardo Gonçalves , Cláudio D. Shikida, Cristiano M. Costa

Painel Temático I (13:40)

O Papel dos Blogs no Debate sobre Política Econômica
Carlos Eduardo Gonçalves, Alexandre Schwartsman, Felipe Salto

Vídeo: Adolfo Sachsida

Coffee-Break (15:00)

 

Painel Temático II (15:10)

A Blogosfera e o Jornalismo Econômico: Complementares ou Substitutos?
Cristiano M. Costa, Leonardo Monasterio, Silvio Crespo, Thais Herédia
Vídeo: Rodrigo Constantino

Coffee-Break (16:20)

 

Instituto Millenium (16:35)

Painel Temático III (16:50)

Os Blogs na Sala de Aula:  A Disseminação do Conhecimento
Cláudio D. Shikida, Ronald Hillbrecht, Márcio Laurini, Mauro Rodrigues
Vídeo: Roseli Silva

Encerramento (18:00)

Carlos Eduardo Gonçalves , Cláudio D. Shikida, Cristiano M. Costa



Anúncios

Empíricos x teóricos na política monetária

 

Lendo o New York Times de domingo, deparei-me novamente com o tema de minha pesquisa atual, agora, em artigo de Cristina Romer, intitulado “The Debate That´s Muting the Fed´s Response” (disponível online aqui).

Já havia tratado do tema num posto anterior (Macroeconomia Moderna – convergência metodológica) e o interessante a notar, agora, são as vozes americanas engrossando o coro dos “empíricos”. Não é para menos, uma vez que o desemprego tem se mantido elevado, em torno de 9%. Todos concordam que está bem acima da taxa natural de desemprego, seja lá qual seja tal taxa, e muitos economistas clamam por política monetária mais efetiva, no curto prazo, como é o caso de C. Romer – ações diretas, além do “quantitative easing” que vem sendo implementado pelo FED.

Como já disse anteriormente,  restam muitas questões em aberto e que necessitam ser exploradas, tanto em relação à adequação de modelos teóricos às características próprias de economias emergentes, quanto à aderência empírica de tais modelos, mesmo para as economias desenvolvidas – que, afinal, se não nos ajudam a compreender as regularidades observadas, podem ser um meio pouco útil de análise de política econômica, e monetária especificamente.

Recomendo a leitura do artigo, independente de que lado do debate você esteja!



Columbia University, primeiras impressões

Hoje, depois de descansar da longa viagem com uma boa noite de sono, fui até o International Students and Scholars Office ativar meu registro de intercambista. Tudo fácil, fui muito bem recebida, e a atendente perguntou se tive algum problema na imigração, se correu tudo bem em minha chegada, deu-me as instruções de como fazer a carteira de identificação da universidade e se colocou à disposição para qualquer dúvida ou necessidade que eu venha a ter.

Depois, caminhei bastante pelo Campus… sentei nas escadas da Low Memorial Library e fiquei por ali, por um longo tempo, aproveitando o sol numa temperatura de 5°, e observando… o gelo que sobrou da nevasca de dois dias atrás, os estudantes que passavam com passo mais rápido, os turistas que tiravam fotos e falavam em várias línguas animadamente… Fiquei ali, como que numa tentativa de me “apropriar” do espaço, ambientando-me… Buscando me sentir como se estivesse em Sampa, ou na USP, como se estivesse em casa.

Também fui conhecer o International Affairs, onde fica o Departamento de Economia… mas só por curiosidade, pois agendei de me apresentar e conhecer o departamento amanhã, pela tarde. Belas instalações!

Ao longo desse ano, que espero seja muito produtivo academicamente, estarei compartilhando um pouco dessa experiência com vocês aqui no blog!! Muito trabalho pela frente!

Por enquanto, é isso!



%d blogueiros gostam disto: