Dinâmica econômica – o mundo é dinâmico!

Quando se observa a economia em funcionamento, observa-se um mundo em movimento, dinâmico. Isso, em geral, acaba confundindo os estudantes de economia (e muitos dos economistas profissionais, infelizmente…), levando-os a pensar que os modelos estáticos, aqueles em que o tempo não aparece explicitamente, são inúteis para entender o mundo real.

Ao estudar dinâmica econômica, o tempo passa a ser a variável-chave e o foco da análise é a trajetória das variáveis de interesse (os preços ou as quantidades de bens específicos, sob diversas estruturas de mercado, o produto da economia, a taxa de juros, a taxa de câmbio, a dívida pública, etc…). A trajetória, para grande parte das variáveis econômicas, deve convergir para seus valores de equilíbrio intertemporal, que correspondem exatamente aos equilíbrios estudados nos modelos estáticos (cerca de 80% de toda a teoria que se estuda em uma graduação de economia é estática).

Uma ilustração gráfica de uma análise dinâmica poderia ser (em tempo contínuo):

Com este tipo de análise, pode-se avaliar como (com que formato de curva, neste caso, exponencial) e com que velocidade (quanto tempo) a variável se aproxima do equilíbrio. No entanto, também se aprende que, em geral, ela efetivamente nunca alcança o tal equilíbrio, nem mesmo se deixarmos o tempo passar infinitamente… Aí que surgem as confusões seguidas de desprezo pelas teorias estáticas. E aí também que está o erro!! Conceitualmente, é muito importante sabermos para que valor (equilíbrio intertemporal) tende a variável, ou, se a trajetória não for estável, de que valor a variável se afasta de forma persistente (situações de bolhas especulativas nos mercados financeiros ou de hiperinflação se aproximam desse caso). Importante também é analisar a velocidade de convergência e de que parâmetros do modelo ela depende, bem como em quanto tempo nos aproximamos o suficiente do equilíbrio intertemporal.

Ao longo do tempo, a trajetória da variável de interesse pode sofrer mudanças devido a alterações exógenas ou a choques aleatórios. Por exemplo, quando analisamos a trajetória das flutuações de curto prazo do produto da economia, sabemos que o equilíbrio sofre alterações em consequencia de mudanças de política monetária ou fiscal, fazendo com que a trajetória mude e inicie um caminho (longo ou curto, a depender dos mecanismos de transmissão expressos nos parâmetros numéricos do modelo) de aproximação a esse novo equilíbrio intertemporal, e é isso que observamos quando olhamos o mundo em funcionamento!!

PS. Aos alunos de Mat. Aplic. II, o último exercício da lista trata disso!!




Anúncios

2 Respostas to “Dinâmica econômica – o mundo é dinâmico!”

  1. David Tavares Says:

    Bem explicito, obrigado. Fácil compreensão, sucinto e claro !

    Fazendo apenas uma nota de preciosismo, penso que quando se refere a “Política Fiscal” devia referir-se antes a “Política Orçamental”.

    Cumprimentos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: